Como calcular o preço médio de um ativo para o cálculo do Imposto de Renda

O investimento em produtos de renda variável (Ações, Fundos Imobiliários, ETFs e BDRs) exige um mínimo de atenção e controle financeiro. Com um bom controle, fica fácil calcular o preço médio de um ativo.
Oliver Imhof

Oliver Imhof

Publicado em: 28/12/2021

Para calcular o Imposto de Renda devido em uma operação de venda de Ações, ETFs, FIIs ou BDRs, o investidor deverá analisar o preço médio do determinado ativo para conhecer qual é o verdadeiro custo da operação. Às vezes, a venda nem lucro vai gerar. Por isso é essencial fazer um bom controle das finanças.

O que é o preço médio?

O preço médio nada mais é do que o resultado da divisão entre a soma dos valores referentes à aquisição do referente ativo e a quantidade do mesmo em carteira.

Por exemplo, o investidor tem 100 ações de PETR4 a um custo de R$ 10,00. No dia seguinte o investidor comprou mais 100 ações ao custo de R$20,00. No total houve uma aquisição de 200 ações ao custo total de R$ 3.000,00.

Isso significa que o preço médio por ação é de R$ 15,00. Conhecer o preço médio é necessário porque o cálculo do Imposto de Renda será feito baseado no preço médio de compra.

Não há como fazer o cálculo observando o valor da última aquisição, ou da primeira. O investidor precisa conhecer o preço médio.

Calculando o preço médio

Vamos fazer um exemplo para compreender melhor como funciona o cálculo do preço médio de um ativo.

Para isso, vamos trabalhar com um exemplo referente à ação PETR4. Vamos supor que um investidor comprou PETR4 a um valor de R$10,00, uma quantidade de 100 ações.

No dia seguinte o investidor comprou mais 50 ações de PETR4 pelo valor de 12,00. Depois o investidor vendeu 70 ações pelo valor de R$ 13,00 e por fim houve mais uma aquisição de 100 ações pelo valor de R$ 11,00. E agora, como ficam os custos da venda?

Primeiro vamos listar as compras e vendas em ordem cronológica. Desse modo, o investidor não se perde com relação ao preço médio, segue:

  • Compra: 100 ações – R$10,00 - Custo total R$ 1.000,00.
  • Compra: 50 ações – R$12,00 – Custo total R$ 600,00
  • Venda: 70 ações – R$ 13,00 – Receita total de R$ 910,00
  • Compra: 100 ações – R$ 11,00 – Custo total de R$ 1.100,00

Com a lista organizada de operações, chegou a hora de determinar o custo médio referente à operação de venda.

O custo médio vai envolver as duas primeiras compras. Portanto o valor total das 150 ações é de R$1.600,00. Assim, o custo médio é de R$10,67.

Desse modo, o lucro com a operação de venda é de R$ 2,33 por ação, uma vez que o custo é de R$ 10,67 e a venda foi de R$ 13,00.

Ao multiplicar por 70 ações, o valor do ganho é de R$ 163,33. Como estamos tratando de uma operação abaixo de 20 mil reais no mês, a mesma está isenta de IR.

Mas, se fosse um ganho maior ou, se dentro do mesmo mês, o investidor já estivesse passado dos 20 mil, os R$ 163,33 seriam alvo de uma retenção de IR de 15%, gerando um DARF de R$ 24,50.

Depois, com a última aquisição de 100 ações, o investidor terá um preço médio de R$ 10,86, uma vez que o preço médio das 70 ações remanescentes da primeira venda estão em R$10,67 e junto das 100 ações que têm o valor de R$ 11,00, o preço médio alcança os R$10,86.

Assim, caso vendesse todas as ações a um preço médio de R$ 10,50, o investidor teria prejuízo e não precisará apurar ganhos e sim, terá um prejuízo a compensar no futuro.

Preço médio vale tanto para Day Trade quanto para Swing Trade?

Não, o investidor precisa trabalhar com controles paralelos, separando aquilo que é alvo do Day Trade e do Swing Trade.

Vamos supor que o investidor comprou 100 ações de PETR4 pelo valor de R$ 10,00 cada e vendeu no mesmo dia 50 ações de PETR4 pelo valor de R$ 15,00.

Parte das 100 ações que foram adquiridas, ou seja, 50 ações, vai ser custo referente a venda das próprias 50 ações.

Desse modo, sobram 50 ações a um valor de R$ 10,00 cada, que poderão ser negociadas em outro dia e farão parte do controle do Swing Trade, enquanto a venda de 50 ações feita no mesmo dia será calculada com as 50 ações adquiridas no dia.

O lucro é de R$ 5,00 por ação, havendo um ganho total de R$ 250,00 e um Imposto de Renda devido de R$ 50,00, uma vez que a alíquota de IR sobre operações de Day Trade é de 20%.

Conclusão

O preço médio é algo bem fácil de ser feito, porém, quando o investidor possui muitas negociações, com operações tanto de Swing Trade quanto de Day Trade, é importante manter um controle bem apurado.

Com um bom controle, fica fácil fazer a identificação do preço médio, separar o que é Day Trade do Swing Trade e por fim, fazer o cálculo de IR e gerar as DARFs.

Vale destacar que os custos referentes às notas de corretagem, como o custo com a compra ou venda das ações, podem ser utilizados para compor o custo e o valor de venda na hora do cálculo do IR.


© 2021 Felix na Bolsa