ETFs vêm ganhando força no Brasil

O mercado de fundos de índices, ou ETFs vem ganhando força no Brasil. Não faz muito tempo, o Brasil tinha pouquíssimos ETFs.
Oliver Imhof

Oliver Imhof

Publicado em: 22/06/2022

Somente a BlackRock e o Itaú tinham ETFs no Brasil, porém, isso mudou drasticamente nos últimos anos.

Além da BlackRock e do Itaú, existem mais instituições financeiras administrando ETFs, como o BTG Pactual, XP Investimentos, Bradesco, Hashdex, Caixa, dentre outros.

Com o crescimento de investidores e o aumento de ativos, os ETFs vêm ganhando mais espaço no mercado nacional.

Crescimento de 109%

Segundo matéria publicada no site Bloomberg, de 2020 para 2021, houve um crescimento expressivo de investidores em ETF.

Se em 2020 havia 239 mil investidores em ETF, em 2021 o número passou para 500 mil.

Ainda segundo a matéria, o crescimento da indústria de ETF no Brasil foi de 42%, fato que mostra um aumento sustentável do mercado.

Com o crescimento de investidores, ocorre simultaneamente o crescimento de novos ETFs.

Mas, ao analisar a composição de fundos de investimento no Brasil, somente 0,6% do patrimônio dos fundos tem recursos investidos em ETFs. Ou seja, ainda há muito espaço para os ETFs crescerem no Brasil.

Vantagens dos ETF

Nem todos os investidores têm tempo ou paciência para analisar as ações, fundos imobiliários e demais ativos que existem na bolsa de valores.

Assim, os ETFs surgem como uma opção bem interessante. Ao invés de comprar uma ação, porque não comprar um fundo de índice?

Ao invés de construir uma carteira com ações ou fundos imobiliários, o investidor pode simplesmente comprar o ETF que segue determinado índice do mercado.

No caso do mercado de ações há dezenas de alternativas em ETF. BOVA11 é um ETF que segue o índice Ibovespa, já IVVB11, segue o S&P 500 dos Estados Unidos.

Para aqueles que procuram ficar posicionados em fundos imobiliários, uma boa opção é XFIX11, que segue o índice IFIX.

Ao comprar um ETF, o investidor estará seguindo um índice, além de estar diversificado em diferentes ativos.

Querendo ou não, o índice é composto por vários ativos. Ao comprar um ETF que segue um índice, o investidor estará diversificando.

O valor de muitos ETFs é bem acessível aos investidores. Mesmo aqueles que possuem menos de R$ 10,00 para investir, já podem estar comprando ETF.

Por exemplo: Atualmente XFIX11 está sendo negociado próximo dos R$ 9,80 a cota. Já SPXB11 (ETF que segue o índice S&P 500) está sendo negociado por volta dos R$ 8,36. Isso mostra como é acessível os ETF.

Outra vantagem que existe ao comprar ETF está no fundo em si. Como os ETFs seguem índices, dificilmente um fundo desses vai registrar oscilações diferentes do índice.

Assim, aqueles que procuram um investimento que vá de encontro com determinado índice, vão encontrar no ETF a solução.

Cuidados ao investir em ETF

Mesmo que o ETF seja um fundo de índice onde a carteira é repleta de diferentes ativos, ainda sim, é importante ficar atento ao ETF que será comprado.

Vamos supor que o investidor esteja disposto a comprar um ETF para seguir o mercado nacional, qual é a melhor opção?

Caso o investidor esteja procurando algum ETF que siga o Ibovespa, uma solução é BOVA11, ou BOVV11, BBOV11 dentre outros.

Por outro lado, existe também o PIBB11, que segue o índice IBRX-50, ou DIVO11 que segue a lista das melhores empresas pagadoras de dividendos da bolsa.

Desse modo, antes de comprar o ETF, o investidor precisa fazer um bom estudo das alternativas que existem na bolsa e quais são os índices.

A liquidez dos ETFs é algo que precisa ser visto antes do investimento. O mercado de ETF está longe de ser equivalente ao de ações ou de fundos imobiliários.

Portanto, estamos tratando de um mercado menor e com liquidez reduzida. Assim, antes de investir em qualquer ETF, é preciso avaliar a liquidez e o valor que será investido no ETF.

Mesmo para investimentos pequenos, sempre tente dar preferência a ativos de maior liquidez, com mais negócios diários.

Ao investir em ETF o cotista não recebe distribuições de dividendos. Em outros países como nos Estados Unidos, os cotistas de ETF recebem dividendos, mas no Brasil, isso não é a realidade.

Portanto, se você procura um investimento que possa lhe entregar renda, o ETF não será um desses.

Por fim temos a tributação. ETF não conta com isenção de imposto de renda, portanto, caso haja venda de ETF, o investidor terá que tributar os ganhos em 15% no caso de Swing Trade e 20% para aquelas operações de Day Trade.

A partir do momento em que a pessoa investe em ETF, ela também estará obrigada a declarar o imposto de renda. Então, muito cuidado ao investir em ETF.

Conclusão

Os ETFs vêm crescendo no mercado e são uma solução bem interessante para os investidores. Há muitas opções e várias bem acessíveis.

Com menos de R$ 10,00, já é possível comprar um fundo que segue determinado índice. Ou seja, com pouco dinheiro já é possível diversificar muito os seus investimentos.

Olhando o mercado nacional e como os ETF são utilizados no Brasil, esse mercado tende a crescer muito mais, inclusive mais do que as ações e os fundos imobiliários.

Mas para conseguir extrair todas as vantagens que os ETFs têm a oferecer, o investidor também precisa ficar atento a alguns detalhes.

O ETF no Brasil não faz distribuições, portanto não é um ativo interessante para construção de renda.

Como o mercado de ETF vem crescendo, hoje já existem vários fundos que seguem os mais diferentes índices.

Sendo assim, antes de investir, faça uma boa análise para identificar qual é o melhor para a sua carteira.


Este conteúdo faz parte da missão da Felix na Bolsa de facilitar a vida dos investidores. Clique aqui para conhecer a nossa plataforma.

© 2022 Felix na Bolsa