Quais são os ETFs mais lucrativos do mercado?

Os ETS não distribuem rendimentos aos seus cotistas, mas eles podem se valorizar e desvalorizar.
Oliver Imhof

Oliver Imhof

Publicado em: 17/04/2022

É notório que no mercado de ações, como os demais ativos de renda variável registram mais volatilidade, quando comparado a outros produtos de renda fixa.

Nos últimos anos o mercado de ETF ganhou bastante espaço. Então, quais são os ETFs mais lucrativos do mercado? Nesse artigo vamos conhecer os principais ETFs mais lucrativos.

IVVB11

IVVB11 é um ETF que segue de perto o índice S&P 500 dos Estados Unidos. Além de seguir de perto o índice, IVVB11 ainda sofre com a influência do dólar.

Como o mercado norte americano registrou alta valorização nos últimos anos, além da valorização do dólar, os ganhos de IVVB11 foram bem interessantes. Nos últimos 5 anos, IVVB11 vem registrado valorização superior a 185%.

Outro ponto importante sobre IVVB11 está relacionado ao índice que o fundo segue. O S&P 500 é um índice que segue o desempenho das 500 maiores empresas dos Estados Unidos, portanto, há uma diversificação elevada na carteira.

DIVO11

DIVO11 é um ETF que segue de perto o índice de dividendos da bolsa nacional. Por se tratar de um ETF que possui uma grande quantidade de boas empresas pagadoras de dividendos, nos últimos 5 anos o ETF registrou ganhos superiores ao índice IBOVESPA. Nos últimos 5 anos o resultado de DIVO11 é de 95% .

O índice de boas empresas pagadoras de dividendos não é tão grande quanto o S&P 500, mas ainda sim conta com boa qualidade de pulverização dos valores.

MATB11

MATB11 é um ETF que segue o índice de matérias básicas. Dentro desse índice existem empresas ligadas a área de commodities (ferro e celulose).

Como nos últimos meses as commodities vêm se valorizando bastante, MATB11 gerou um ótimo resultado. Nos últimos 5 anos, MATB11 gerou resultado de mais de 239%.

Os ganhos são tão bons que ultrapassaram com certa facilidade a performance registrada por IVVB11.

Como o Brasil tem grande força baseado nas commodities, contar com uma participação na área, é importante para a carteira. Com ETFs mais “nichados” a
carteira ganha mais diversificação. 

PIBB11

PIBB11 é um ETF similar a BOVA11 (que segue o Ibovespa), mas ao invés de seguir o principal índice da bolsa, PIBB11 é voltado as 50 empresas mais negociadas do mercado nacional (índice IBRX-50).

Portanto o índice no qual o ETF segue dá mais prioridade à questão de negociações ao invés do tamanho das firmas.

PIBB11 nos últimos cinco anos vem entregando valorização da ordem de 81%. Vale destacar que IBRX-50 vem conseguindo entregar resultado melhor que o próprio Ibovespa.

BOVA11

BOVA11 é o ETF que segue o índice Ibovespa. O índice atualmente é composto por dezenas de empresas, sendo amplamente diversificado e pulverizado. O ETF BOVA11 nos últimos cinco anos vem registrando valorização superior a 76%.

SMAL11

SMAL11 é um ETF que segue o índice de empresas de pequeno e médio porte. Antes da pandemia da COVID-19, o índice e ETF vinham se valorizando muito.

Os ganhos alcançaram níveis acima dos 120%, porém, com a pandemia e depois com as crises provocadas pela alta inflação no mundo e da guerra na Ucrânia, o índice derreteu e não conseguiu recuperar seus níveis pré-pandemia.

Nos últimos cinco anos, SMAL11 vem gerando retorno de 76%. Como estamos tratando de um índice que trabalha com empresas de porte menor e sem tanta participação no mercado, tais empresas têm maior potencial de crescimento do
que as companhias já consolidadas.

Por isso, o índice, normalmente, em períodos mais longos, performar acima do Ibovespa ou demais índices. Porém, com as crises já mencionadas, a performance nos últimos anos tem ficado na média do mercado.

B5P211

B5P211 é um ETF que segue o índice de títulos do Tesouro Direto vinculados ao IPCA com prazo inferior a cinco anos.

Dentre todos da lista, B5P211 é um dos mais novos ETF além de ser de renda fixa. Por mais que seja um fundo de índice de renda fixa, por se tratar de um ETF também é negociado em bolsa como os demais.

O ETF vem gerando retorno (ao longo de um ano) de pouco mais de 8,3%. Considerando a rentabilidade tradicional do CDI, a valorização de B5P211 é bem
superior (em um ano, o CDI rendeu 6,41%).

Vale destacar que o índice que engloba os títulos do Tesouro IPCA com vencimento abaixo de cinco anos possui menos volatilidade em comparação aos títulos mais longos.

Como se trata de papéis com vencimento mais próximo, a volatilidade é menor. Por isso, tal ETF vem gerando um resultado bem interessante, mesmo no curto prazo.  

Conclusão

O investimento em ETF é muito interessante para aqueles que buscam diversificação e ganhos acima da média. Principalmente se o ETF for de índices
referente à bolsa de valores.

Por se tratar de um índice, os ETF são bem diversificados, contando com diversas ações, ou ativos em suas carteiras.

Como o ETF segue um índice, a carteira do fundo vai se alterando, conforme o índice. Portanto há sim uma gestão, mas ela é passiva.

Mesmo investidores considerados conservadores podem investir em ETF a fim de diversificar e conseguir rendimentos maiores no longo prazo.

Todos os ETFs listados aqui vêm gerando performance positiva nos últimos cinco anos. Isso não significa que a performance ao longo do período sempre foi positiva. Como estamos lidando com produtos de renda variável, os ETFs geram bastante volatilidade.

Como estamos tratando de diversos ETF de renda variável, é comum ver tais índices flutuando. É com essa volatilidade, que tais fundos conseguem performar bem no longo prazo. 


Este conteúdo faz parte da missão da Felix na Bolsa de facilitar a vida dos investidores. Clique aqui para conhecer a nossa plataforma.

© 2022 Felix na Bolsa