Por que assinar uma calculadora de IR para a Bolsa?

Investir na Bolsa de Valores não se trata somente de comprar e vender, há mais coisas envolvidas, dentre elas o recolhimento dos impostos. Uma ferramenta que pode ajudar os investidores nessa tarefa é a calculadora IR. 
Oliver Imhof

Oliver Imhof

Publicado em: 31/12/2021

A calculadora de Imposto de Renda pode facilitar a vida de várias formas, desde no controle quanto no recolhimento do imposto.

Se você quer conhecer mais sobre as vantagens de assinar uma calculadora de IR para a Bolsa, acompanhe o nosso artigo.

O que é uma calculadora de IR?

Os investimentos em renda variável, como a compra e venda de ações, fundos imobiliários, ETFs, BDRsopções, entre outros, possuem obrigações tributárias que devem ser cumpridas pelo próprio investidor.

Em outras palavras, ao vender ativos na Bolsa, com lucro, será obrigatório fazer a apuração dos ganhos para determinar qual será o valor a ser recolhido de Imposto de Renda.

Esse processo por vezes consome tempo, uma vez que o investidor deverá ter um controle rigoroso de suas compras e vendas.

Não há como manter um controle somente da posição, mas sim, dos valores investidos (valores que são impressos nas notas de corretagem). 

A partir desses valores é possível determinar o valor de entrada e com a nota de corretagem de venda, o valor de saída.

Com os valores de entrada e saída é possível verificar o lucro e qual será o valor da guia. Com isso em mãos, chegou a hora de ir até o SICALC (plataforma virtual da receita federal para emissão de DARF) e fazer a emissão da guia.

Sempre respeitando a data limite para pagamento, que é o último dia útil do mês seguinte à operação de venda. 

Com a calculadora, tudo isso se tornará mais simples. O usuário só precisa inserir as notas de corretagem e a própria calculadora vai fazer a apuração do imposto devido. 

Inclusive, por meio da calculadora de IR, o usuário tem a possibilidade de fazer o controle de seus investimentos, já que todas as notas de corretagem estarão integradas ao sistema e o próprio fornece dados como: valor sob custódia, ganhos auferidos com as operações e as perdas também.

Além da apuração do imposto

Uma boa calculadora de IR vai além da própria apuração do imposto. Existem calculadoras que conseguem fornecer a guia de recolhimento e até relatórios para serem utilizados na confecção da Declaração Anual do Imposto de Renda.

Ou seja, somente com a calculadora, o usuário já tem ferramentas suficientes para calcular, apurar, recolher e declarar seus rendimentos.

Outro detalhe é a segregação entre operações Day Tarde e Swing Trade. Ao comprar e vender no mesmo dia, o investidor acaba operando Day Trade, fato que exige uma alíquota diferente dos 15% aplicados sobre o Swing Trade.

Com a calculadora de IR, a própria vai fazer a segregação de tais operações e aplicar a alíquota de 20%, evitando que o investidor possa se confundir ou até cometer um equívoco.

A calculadora também vai diferenciar fundos imobiliários dos demais investimentos, uma vez que os FII também possuem alíquota diferente, de 20%.

Outro ponto importante está relacionado aos prejuízos. Como o sistema da calculadora integra as notas de corretagem, os prejuízos com operações também vão ser compensados, e assim, o investidor consegue aproveitar e reduzir o valor a ser recolhido.

Sem falar na isenção de até 20 mil reais por mês em operações de ações, a calculadora também vai considerar essa informação.

Não há milagre sem informação

O bom funcionamento da calculadora depende das informações que o usuário insere na plataforma.

Não há como uma calculadora de IR trabalhar sem que todas as notas de corretagem sejam inseridas na plataforma para apuração e cálculo do imposto.

Ao não inserir uma nota de compra ou venda, todo o cálculo fica comprometido, por isso, para uma boa experiência com uma calculadora de IR, o usuário precisa inserir todas as notas de corretagem.

Legislação complexa

O Brasil possui um sistema tributário burocrático, exigindo muita atenção dos contribuintes. Com a calculadora de IR para a Bolsa, esse processo se torna menos moroso e mais prático.

Ainda em 2021, o Brasil quase teve uma reforma do Imposto de Renda, reforma que poderia alterar várias regras de IR para os investimentos.

Dentre as pautas, havia a possível alteração da apuração de Imposto de Renda sobre as operações na Bolsa, passando de mensal, para trimestral.

Essas alterações, quando ocorrem, por vezes não chegam aos contribuintes. Com uma boa calculadora de IR, o investidor não tem com o que se preocupar, uma vez que a plataforma é administrada por pessoas que possuem conhecimento e fazem a manutenção do sistema, inserindo as novas regras tributárias, mantendo o usuário atualizado. 

Vale a pena uma calculadora de IR na Bolsa?

Sim, o sistema tributário nacional é complexo e muitas pessoas não conhecem todas as regras e obrigatoriedades.

Devido à elevada burocracia de nosso sistema tributário, é necessário buscar ferramentas que possam nos ajudar a apurar e recolher os impostos.

Além da burocracia, periodicamente novas legislações são divulgadas e colocadas em prática. Calculadoras de IR normalmente são plataformas administradas por empresas que respiram contabilidade e vivem intensamente o mundo tributário.

Por isso, ao contratar uma calculadora, o investidor acaba contratando um seguro, uma vez que por meio do sistema, será possível fazer o controle, apurar e recolher os impostos de forma segura, fácil e prática. 

Para aqueles que operam constantemente na Bolsa de Valores e/ou têm receio com relação à tributação e eventuais problemas com a Declaração Anual, a calculadora de IR é a melhor solução.


© 2021 Felix na Bolsa